Qual o melhor tipo de investidor para sua startup?

Qual o melhor tipo de investidor para sua startup?

Como você já deve saber, uma Startup é um empreendimento inicial, o que significa que existem muitas limitações para fazer com que o negócio se desenvolva em um ritmo acelerado. Uma dessas limitações é aquela bem comum, que já conhecemos: a falta de recursos, o que faz com que a busca por investimento seja uma das grandes preocupações dos empreendedores. Afinal, quem não quer ver seu negócio crescendo e se tornando um grande sucesso?

A busca por investimento tem vários detalhezinhos que precisamos ficar de olho. Por exemplo, o tipo de investidor. São diversos os canais que você pode acessar para conseguir o aporte que pode fazer o seu negócio deslanchar. É preciso saber como alinhar as necessidades da sua empresa com aquilo que cada tipo de investidor procura.

O que move um investidor

O que move um investidor

O que move um investidor

Na minha opinião, o principal ponto que diferencia um investidor do outro são as suas motivações. Ou seja, o que os incentiva a apostar em uma ideia. Já falei aqui no blog sobre o que um investidor busca em uma startup, onde consegui mostrar um pouco sobre a motivação mais comum: a busca por retorno financeiro. Mas essa não é a única.

Para saber o melhor tipo de investidor para a sua startup, primeiro é preciso entender em que estágio o seu empreendimento se encontra. Os estágios básicos de uma startup são: hipótese, validação, negócio e escala. Cada fase tem características que se encaixam com um perfil de investidor, pois se alinha às suas motivações. Vou explicar melhor cada um desses estágios e te indicar o tipo de investidor que melhor se encaixa em cada um, beleza?

Estágio da Startup x Tipo de Investidor

Hipótese

Hipótese

Hipótese

O primeiro estágio da startup é o mais incerto e caótico. Não temos certeza de muita coisa, a ideia ainda está sendo testada e o que nos move é a perseverança de que dali pode sair alguma coisa legal. Nesse momento, ainda é difícil convencer alguém a apostar em seu negócio, até porque sua ideia ainda nem se tornou um negócio de fato, né?

Então, na fase de hipótese, os investidores mais promissores são os famosos três Fs: friends, family, fools. Amigos, família e “bobos” são aqueles que estão mais perto de acreditar em suas ideias, mesmo quando ainda não existam provas de que ela realmente vai dar certo.

Validação

Validação

Validação

A fase de validação é quando a sua ideia já começa a mostrar sinais de que consegue se sustentar. Ou seja, você já comprovou depois de inúmeros erros e acertos que o seu produto tem viabilidade tanto técnica quanto financeira e que resolve um problema real.

Nessa fase, você já tem argumentos mais fortes para buscar um investidor. Geralmente, quando o produto já está em validação, um tipo de investidor interessante para correr atrás são os chamados Investidores Anjo.

Investidores Anjo são pessoas que possuem capital próprio acumulado e buscam por oportunidades diferentes de investir. Eles têm um perfil que foca em investimentos mais arriscados, pois mesmo avaliando as métricas de startups em fase de validação, sabem que ainda tem muito caminho pela frente até o negócio dar certo.

Por isso, se a sua startup já está nessa fase, procure estruturar seu pitch focando nas métricas reais que sua empresa já construiu e também nas projeções do negócio, ou seja, o quanto é possível alcançar a partir de um investimento inicial.

Negócio

Negócio

Negócio

No terceiro estágio é que o negócio realmente começa a tomar forma. Os primeiros clientes já aparecem e começa a corrida pelos ajustes de nicho de mercado. A startup já começa a ter necessidades de um aporte mais robusto, pois precisa focar em estruturação e vendas.

Esse investimento maior pode ser possível se você conseguir demonstrar o potencial do seu negócio para um fundo de venture capital. Os fundos de venture capital geralmente são formados por alguns investidores que se reúnem para juntar seu capital, o que permite ampliar o valor do aporte.

Escala

Escala

Escala

A fase de escala é quando o produto já está validado, já existem clientes e chegou a hora de expandir. A conquista por novos mercados requer aquele upgrade básico do seu modelo de negócios. Não tem como conquistar o mundo mantendo uma estrutura que só funciona no seu próprio país, concorda?

Nesse estágio, os fundo de venture capital continuam sendo o canal indicado. O que muda é o tipo de investimento, que precisa ser bem maior do que na fase de negócio. O investimento Series A é um bom caminho, pois tem como objetivo ajudar o modelo de negócios para expansão.

Bom, essas são as linhas gerais, o basicão, quando falamos em alinhar o tipo de investimento com o estágio da startup. Espero ter ajudado. Mas mais importante do que tudo isso é buscar os meios de estar sempre à frente no mercado. Por isso, desenvolver suas capacidades de visionário é essencial.

Importância do CVO

Importância do CVO

Importância do CVO

Como sempre procuro comentar aqui no blog, planejamento é fundamental para o crescimento do seu negócio. No processo de busca por investimento, isso se torna ainda mais importante, pois é através dos aportes que sua empresa vai conseguir o impulso para chegar mais longe.

Aqui na leadlovers, nós levamos o futuro muito a sério. Por isso, assumi o papel de CVO (Chief Visionary Officer). Por muito tempo, mantive o foco das minhas ações na parte prática da empresa. Mas quando menos esperava, percebi que estava parado no tempo e que o mercado havia mudado e minha empresa não estava pronta para isso.

Foi nesse momento que entendi a importância de olhar além e por isso defendo a importância do CVO nas empresas. Por acreditar tanto nisso, dediquei um tempo para reunir minhas experiências e registrei tudo isso no meu livro – Visionários.

Convido você a se juntar a mim nesta caminhada. Espero poder contribuir com o crescimento de sua empresa e com o seu crescimento como profissional!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *