Entenda quais são os principais riscos de um novo negócio

Entenda quais são os principais riscos de um novo negócio

Abrir um novo negócio

Abrir um novo negócio

Medo de sair do trabalho e deixar de contar com uma fonte de renda mais estável ou de ver o próprio negócio fracassar devido a erros na hora de empreender. Esses receios, certamente, já passaram pela cabeça de milhares de empreendedores e não sem razão: os riscos são elementos inerentes a um novo negócio.

Entenda quais são os principais riscos de um novo negócio

Entenda quais são os principais riscos de um novo negócio

Mas como lidar com esses riscos e vencê-los? A ideia de meu artigo de hoje é demonstrar que você pode identificar os riscos de sua empresa com mais objetividade e, deste modo, elaborar estratégias para não sucumbir perante eventuais obstáculos. Acompanhe!

Entenda a importância de se correr riscos

A primeira coisa que quero deixar claro é o seguinte ponto: os riscos fazem parte da vida humana. Um atleta de alto nível sempre está sujeito a lesões e derrotas que geram impacto negativo em sua carreira. Um investidor da bolsa entende o fato de que pode vir a perder dinheiro. Até o simples ato de sair de casa envolve riscos.

Neste sentido, você tem duas opções: abrir mão de projetos para viver uma vida de riscos mínimos ou tentar conquistar algo importante se preparando para os desafios que podem surgir ao longo do caminho.

Me parece óbvio que a segunda opção é aquela que move o mundo de fato. No plano do empreendedorismo, conhecer os riscos de um novo negócio não significa fugir deles, mas estar pronto para vencê-los.

Conheça os riscos de um novo negócio

Não há nada melhor do que o conhecimento quando o assunto é desenvolver estratégias para superar obstáculos que, para ser bem sincero, estarão presente desde o momento em que você abrir seu próprio negócio. Podemos dividir os riscos em dois patamares:

Conheça os riscos de um novo negócio

Conheça os riscos de um novo negócio

Riscos internos ou diversificáveis

São os riscos relativos à gestão do negócio e que dependem da própria habilidade do gestor para serem contornados e eliminados — ou ao menos, reduzidos ao máximo.

Finanças desequilibradas, baixa produtividade da equipe e problemas com fornecedores são alguns dos casos possíveis de riscos internos.

Quando localizados, o fundamental é elaborar estratégias para reverter esses problemas antes que eles afetem fatores como o capital de giro da empresa ou o crescimento da carteira de clientes. No caso da baixa produtividade de equipes, apenas como ilustração, você pode pensar em formas de liderar uma equipe de maneira eficiente.

Riscos externos ou não diversificáveis

Como o próprio nome denuncia, os riscos externos são aqueles que não dependem necessariamente do funcionamento interno da empresa para existirem. Como exemplo, posso citar as crises econômicas que afetam a atividade comercial em todo um país.

Mas, mesmo aquilo que você não exerce controle direto, pode ser vencido por meio do preparo. Empresas que estudam os cenários de crise podem identificar novas oportunidades de investimento. É fundamental também criar estratégias como a diversificação de produtos ou a realização de promoções para incentivar o consumo.

Analise e aprenda a lidar com os riscos

Analise e aprenda a lidar com os riscos

Analise e aprenda a lidar com os riscos

Para vencer os obstáculos próprios de um novo negócio, outra dica importante é a análise do risco que está sendo enfrentado. Dentro dessa análise, eu englobo três questões principais que exigem reflexão por parte do empreendedor:

  • Impacto do risco no negócio: o quanto este risco pode afetar ou não a continuidade de minha empresa?
  • Grau de complexidade do risco: quais as medidas que precisarão ser tomadas para sanar o risco?
  • Grau de incerteza: o quanto você sabe sobre este risco? É um risco externo ou interno?

Uma análise completa permitirá que você aprenda a lidar de modo mais objetivo e racional com os riscos que envolvem sua empresa.

Após a análise, a grande dica é estabelecer uma ordem de prioridade para a resolução dos problemas do empreendimento e, a partir de então, aplicar e validar estratégias para superar os desafios da vida empresarial.

O conselho final é a reafirmação de que não adianta nada fugir dos riscos de um novo negócio. O empreendedorismo, afinal de contas, é a mola econômica do país. O grande segredo é enxergar os riscos, compreendê-los e transformá-los em oportunidades.

Gostou do artigo de hoje? Então me siga nas redes sociais — Facebook, Twitter e YouTube — e acompanhe outros textos como este que ajudarão sua empresa a crescer!