Design Thinking: o que é, de onde veio e por que usar na minha empresa?

Design Thinking: o que é, de onde veio e por que usar na minha empresa?

Business people meeting at office and use post it notes to share idea. Brainstorming concept. Sticky note on glass wall.

Estando há algum tempo no mundo do empreendedorismo, provavelmente em alguma roda de conversa ou palestra você deve ter ouvido falar de design thinking. Pode ser que você tenha se perguntado: “Design? Mas o que que eu tenho a ver com design? Eu nem sei desenhar! Como design pode me ajudar nos negócios?”

Se você é dessas pessoas que ainda acha que design só tem a ver com desenhar, tá na hora de se atualizar! O design thinking é uma metodologia super interessante, que nasceu a partir dos conceitos de processo criativo e hoje é muito usada para buscar inovação e novas ideias de produtos e serviços, pois ajuda as empresas a se aproximarem dos problemas reais dos clientes.

Vem comigo que vou ajudar a responder as primeiras perguntas que passam na cabeça de quem ainda não conhece o design thinking.

Afinal, o que é design thinking?

Afinal, o que é design thinking?

Afinal, o que é design thinking?

Como sempre, vamos começar do começo: “Thinking” vem do inglês e significa “pensamento”. O design thinking é uma metodologia que parte do pensamento criativo que os designers usam para desenvolver projetos e aplica isso para o desenvolvimento de novas ideias de produtos e serviços que estejam alinhadas com necessidades reais de pessoas reais.

Essa proximidade com as pessoas faz com que o design thinking seja chamado de um processo centrado no consumidor. Isso permite que, por meio dessa metodologia, seja possível ajudar pessoas e organizações a serem mais inovadoras e criativas com base no mundo real e não apenas em ideias aleatórias que parecem legais.

A primeira coisa que você precisa saber sobre design thinking são os seus três princípios fundamentais, que são desejabilidade, viabilidade e factibilidade. Cada um desses princípios tem um foco e ajuda a responder uma questão indispensável na hora de pensar em um projeto:

  • Desejabilidade: foco em pessoas – As pessoas precisam?
  • Viabilidade: foco em negócios – É viável financeiramente?
  • Factibilidade: foco em tecnologia – É possível de ser feito?

Esses princípios funcionam como lentes, que ajudam a olhar para o projeto e verificar se está adequado para ser colocado em prática. O design thinking busca colocar seus princípios em prática de forma colaborativa, para potencializar as possibilidades. Afinal, mais cabeças pensam melhor do que uma.

E de onde veio esse negócio de design thinking?

E de onde veio esse negócio de design thinking?

E de onde veio esse negócio de design thinking?

O cara que popularizou o design thinking é Tim Brown, CEO da Ideo, uma das maiores consultorias de inovação do mundo. Ele apresenta o design thinking como uma metodologia “para dar fim às velhas ideias”. No livro em que apresenta o conceito, Brown conta diversas histórias sobre os projetos da Ideo em que o design thinking foi aplicado e as ideias incríveis que surgiram a partir disso.

Além de Brown, os irmãos Tom e David Kelley, também sócios da Ideo, ajudaram a espalhar as boas novas do design thinking. Tom fala sobre isso em seu livro A arte da inovação e também em suas palestras. David usou os conceitos do design thinking para fundar a Stanford d.school, o braço de inovação da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos. Os caras são fera!

Momento Curiosidade: a “d.school” tem esse nome e se escreve assim para destacar uma ideia bem interessante dos fundadores sobre design. Eles defendem o design precisa ser feito para resolver problemas reais de pessoas reais e não simplesmente criar uma infinidade de objetos bonitos, caros e muitas vezes sem um propósito definido. Então eles criaram o conceito de “design com ‘d’ minúsculo”, que ajuda a lembrar do potencial criativo e inovador que os métodos de design podem ajudar na hora de criar novas soluções, caminhando muito além da estética pura e simples que geralmente é associada aos processos de design.

Por que eu deveria usar design thinking na minha empresa?

Por que eu deveria usar design thinking na minha empresa?

Por que eu deveria usar design thinking na minha empresa?

Os benefícios de se aplicar as técnicas de design thinking na empresa são muitos. Uma das primeiras coisas que você vai notar é uma integração maior da sua equipe. Isso acontece porque, sendo um processo criativo, as pessoas tendem a se envolver mais, pois a criatividade é algo que nos tira do lugar comum, o que pode dar um ânimo a mais para os seus colaboradores.

Além disso, usando design thinking você vai estar cada vez mais perto do seu consumidor, pois você vai buscar as ideais no mundo real, onde os problemas realmente existem e precisam de soluções. Estabelecer esse relacionamento mais próximo e estar atento às necessidades pode ajudar muito a sua empresa a inovar por caminhos mais certeiros.

Outro ponto que é super positivo é o volume de novas ideias e possibilidades que irão surgir. Mais ideias significam mais possibilidades de se alcançar o sucesso, desde de que passem pelas lentes do design thinking.

E aí, curtiu esse negócio de design thinking? Que tal já começar a aplicar na sua empresa? Colocar o design thinking em prática não é nenhum bicho de sete cabeças, se você seguir certinho as etapas. Fique ligado, no próximo artigo falo mais sobre design thinking na prática.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *